Exposição e Catálogo

Animais na
Cerâmica Caldense

Colecção de João Maria Ferreira

Identidade gráfica Animais na Cerâmica Caldense © Raquel Piteira e Joana Teixeira / ESAD.CR

Esta exposição, com curadoria de Margarida Elias, apresenta uma componente emblemática da colecção de cerâmica de João Maria Ferreira.
João Maria Ferreira nasceu nas Caldas da Rainha em 1932 e, desde jovem, dedicou-se a organizar colecções, entre as quais se conta a de cerâmica caldense, Esta colecção é hoje uma das mais importantes de natureza particular, em Portugal. Entre as numerosas peças que constituem esta colecção, que vai desde a cerâmica “arcaica”, até à época contemporânea, muitas são aquelas onde surgem animais, quer como elementos estruturantes das obras quer como elementos decorativos, em peças de vocação artística ou utilitária, relevadas ou apenas pintadas. Os animais são, de facto, um dos elementos mais comuns da cerâmica artística e decorativa caldense, surpreendendo não só pela sua beleza formal mas também por valores simbólicos ou morais, podendo invocar sensações de beleza, de fascínio, ou de até de teor humorístico.
A exposição apresentará mais de cem peças dos mais importantes autores de projecção nacional como Manuel Mafra, José Alves Cunha, José Francisco de Sousa, Rafael Bordalo Pinheiro, Avelino Belo, Hansi Staël e José Aurélio, entre muitos outros.

Fabricantes e autores representados: António Alves Cunha (1856-1941); António Quadros (1933-1994); Armando Correia (1936-2008); Augusto   Baptista de Carvalho; Avelino António Soares Belo (1872-1927); Costa Motta Sobrinho (1877-1956); D. Fernando II (1816-1885); Eduardo Augusto Mafra (1865-c.1926); Fernando da Ponte e Sousa (1902-1990); Figueiredo Sobral (1926-2010); Francisco Frazão (1906-1978); Francisco Gomes de Avelar (c.1850-1918); Germano Luís da Silva (1890-1957); Hansi Staël (1913-1961); Herculano Elias (1864-1939); João Duarte Angélico (1878-1926); José Alves Cunha (1853-1901); José Avelino Soares Belo (c.1893-1962); José Francisco de Sousa (1831-1907); José Manuel Aurélio (n. 1938); Luís Ferreira da Silva (1928-2016); Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro (1867-1920); Manuel Mafra (1829-1905); Maria Antónia Paramos (1922-1976); Maria dos Cacos (1797-1853); Rafael Bordalo Pinheiro (1846-1905); Visconde de Sacavém (1863-1928)


Margarida Elias, nascida em 1970, é membro colaborador do CIAUD, da Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa. Realizou o seu percurso académico na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, sendo Doutorada em História da Arte Contemporânea (sécs. XIX-XX) (2012). Especializando-se inicialmente na obra de Columbano Bordalo Pinheiro (1857-1929), sobre a qual publicou um livro (Quidnovi, 2010), tem vindo a alargar o seu campo de investigação para as áreas da história das artes decorativas e do design. Colaborou, desde 2005, com investigação para exposições em museus, entre os quais o Museu da Cerâmica das Caldas da Rainha, o Museu do Chiado – Museu Nacional de Arte Contemporânea e a Casa Roque Gameiro, na Amadora.

— 29 Outubro a 29 de Janeiro
Terça-feira a domingo: 10h00-18h00

— Museu da Cerâmica
Rua Dr. Ilídio Amado – Ap. 97 Caldas da Rainha

Situado na zona histórica de Caldas da Rainha, próximo da antiga fábrica de Bordalo Pinheiro, o Museu da Cerâmica está instalado na Quinta Visconde de Sacavém. Adquirido para o efeito pelo Estado em 1981 e foi criado oficialmente em 1983. É tutelado pela Direção Regional de Cultura do Centro.

Organização
Associação Património Histórico

— Entrada livre